Arquivo-Museu da Santa Casa da Misericórdia da Ericeira

Desde a sua instituição no ano de 1678, a Santa Casa da Misericórdia da Ericeira, vem acumulando recordações, documentos e espólios não só da sua actividade de solidariedade social, bem como de diversas doações que regularmente lhe concedem.

O extenso acervo deu corpo a uma iniciativa, também já com 75 anos, de o conservar em moldes museológicos actuais, abrindo-o à apreciação pública.

Museu

O Museu da Santa Casa da Misericórdia da Ericeira congrega uma apreciável colecção de Arte Sacra composta por paramentos, alfaias litúrgicas e outras peças religiosas, uma sala exclusivamente vocacionada para a actividade piscatória da Vila e um invulgar acervo documental reservado, com início no século XV.

O Museu abre ao público às quartas-feiras a partir da 10:30h durante todo o ano. Visitas de grupo noutro horário, deverão ser solicitadas à Santa Casa da Misericórdia da Ericeira para marcação prévia.

O Museu da Misericórdia foi fundado em 01 de Junho de 1937. Inicialmente foram-lhe destinadas duas salas, ocupando hoje a totalidade das divisões do edifício, que estão organizadas nos seguintes núcleos museológicos:

Núcleo de Artes Decorativas
É constituído por um extenso conjunto de peças, em exposição e em reserva, em cristal, vidro, porcelana, faiança e metal incluindo a prata. A maioria são objectos de uso comum e de decoração caseira dos séculos XIX e XX.

Núcleo Histórico
Destaque muito especial para o original do foral concedido à Vila de Ericeira em 1513 por D. Manuel I, peça de grande beleza pelas suas iluminuras. Existe também um espaço dedicado ao embarque da família Real, para o exílio, em 5 de Outubro de 1910 e uma área do tema “música”, com relevo para um conjunto de ocarinas.

Arquivo Histórico
Comporta milhares de documentos, a partir do século XV, cujo elevadíssimo interesse é comprovado por numerosos livros e outros trabalhos de historiadores e pesquisadores a que serviram de base.

Núcleo de Arte Sacra
Relevo para um conjunto de nove painéis de face dupla, bandeiras de procissão, do século XVII, reproduzindo Cenas de Paixão de Cristo. Destaque para 12 painéis votivos (exvotos) dos séculos XVIII e XIX e para um invulgarmente numeroso conjunto de esculturas de oratório indo-portuguesas dos séculos XVI/XVIII. Referência ainda para peças de paramentaria, alfaias de culto, imagens, crucifixos e registos.

Núcleo Marítimo
O maior interesse centra-se numa elegante e espectacular lancha construída em 1925 por José da Luz (o Pardal da Assenta) porventura a única existente oriunda daquele estaleiro. Enfoque também para uma valiosa bússola do século XVIII, possivelmente única.