Nesta relação permanente com a dor, com a fome, com a indigência e a tristeza de já nada ter,

Nesta constatação da injustiça, da incerteza, da solidão dum corpo que já pouco vive,

Num mundo que já não é nosso, no outro que a vista já quase não vê e o coração não sente,

No horror da deficiência, da dependência,  na certeza da morte que não tarda,

está sempre presente, discreta, silenciosa, aberta e acolhedora a mão da nossa Mãe!

Assim é e sempre foi. Assim será se a quisermos segurar e seguir neste caminho tão difícil.

Hoje, neste jubileu anunciado como nos três séculos já vividos, esta Santa Casa olha a sua Mãe

e Lhe pede do fundo do coração  a graça da Sua Misericórdia.

O Provedor
João Pedro da Silva Henriques Gil

 

 

“Para mudarmos o mundo comecemos pela mudança de nós próprios.

Para se ser solidário pode bastar apenas o gesto, a palavra, o olhar na direção e no momento certos. Mostrar que nos importamos, que somos sensíveis ao sofrimento e estamos presentes.

Para ajudar não é preciso ouro nem prata. Basta pensar com o coração, estar atento, olhar e ver, estender e dar a mão.

Agarremos num pouco do nosso tempo e demo-lo sem esperar nada em troca. O que dermos receberemos multiplicado.

Ajude-nos a ajudar.”

Victor José Tavares dos Reis Ágoas
Provedor nos mandatos 2007-2009 | 2010-2012 | 2013-2015